18 janeiro 2011

Discurso de formatura

Todos sabem que eu amo falar, fazer, estar e principalmente estar casadaaaaa... (melhor parte hihi!) mas hoje resolvir publicar uma matéria que amei do Reinaldo Polito que é sobre outro sonho que também realizamos e que particulamente eu também amo falar e fazer... que é: FORMATURA!
Tem algo melhor do estar nesta situação de formanda (o)... é muito bom... muitas reuniões, vários preparativos, convites para familiares e pessoas as vezes até distantes... tudo isso para apenas a gente poder dividir com quem amamos e até mesmo com o mundo que esse dia tão esperado (e suado... rs) chegou!!!
Mas muitas vezes ficamos na dúvida do que escrever quando somos "votados" a sermos um orador e é ai que muitas "o bicho pega" e é por isso que vai a minha dica.

Boa leitura!

Alcianna Aires ♥


Formatura: Publiciadde e Propaganda

---------
por Reinaldo Polito


Pessoas de todas as partes do mundo me escrevem pedindo ajuda para se apresentar em público. Alguns dizem sentir muito medo de falar diante de plateias, ou que não sabem usar bem recursos audiovisuais, outros precisam se sair bem na exposição de projetos acadêmicos ou profissionais. Respondo a cada um, com muito prazer.
Entre todos os temas, entretanto, há um recorrente e “campeão de audiência”: como fazer e expor um discurso como orador de turma em formaturas. São questões que vão desde o que dizer, quanto tempo falar, até como se apresentar nessas circunstâncias.
Se você tiver de passar por essa situação, encontrará neste texto todas as dicas para ser bem-sucedido. Basta seguir as orientações, considerar as peculiaridades do seu evento e preparar o discurso na medida certa para se desincumbir bem dessa tarefa.

A duração do discurso

Discursos longos, com 20, 30 minutos de duração se transformam em verdadeiro suplício para os convidados. Esteja certo de que se falar por muito tempo irá tirar o encanto da sua apresentação. Portanto, fale apenas o tempo suficiente para transmitir a mensagem e tornar o momento ainda mais marcante.
Se apenas uma ou duas pessoas discursassem, apresentações de até 10 ou 12 minutos seriam suportáveis. Mas, com tanta gente usando a palavra o tempo precisa ser bastante reduzido. Embora algumas instituições determinem em seu regulamento o tempo máximo dos discursos, que variam de cinco a dez minutos, uma apresentação com começo meio e fim entre cinco e sete minutos estaria de bom tamanho.
Não estou afirmando que discursos longos sejam necessariamente ruins. Há muitos que necessitam de dezenas de páginas de um livro para abrigá-los e são peças oratórias de qualidade excepcional. Entretanto, não combinam com a velocidade e a pressa dos dias de hoje.
Houve um tempo em que discursos longos faziam parte das solenidades de formatura. E, independentemente de serem cansativos ou não, eram recebidos com naturalidade. O mais famoso e também mais extraordinário de todos é 'Oração aos moços' de Rui Barbosa, como paraninfo da turma de formandos de 1920, da Faculdade de Direito de São Paulo. É uma obra prima!

Discurso do orador da turma

O orador da turma fala em nome dos formandos. É como se ele interpretasse em seu discurso a vontade e as aspirações da turma. Por isso, é importante que ele seja escolhido pelos colegas, de preferência em um concurso de oratória.
Nessa disputa, cada formando poderá analisar não apenas o conteúdo do discurso, mas também a competência do orador. Embora o conteúdo seja extremamente importante, sugiro que num concurso de oratória se leve mais em conta a habilidade do orador em se apresentar em público.
Desde que ele se comprometa a aceitar sugestões do grupo para melhorar o teor da mensagem, o resultado poderá ser positivo. Mensagem de qualidade razoável pode ser aprimorada com a participação dos colegas. Entretanto, a falta de dotes oratórios dificilmente poderá ser resolvida pouco tempo antes da formatura.

Como deve ser apresentado

O discurso do orador da turma deve ser lido (não deixe de ler este texto sobre a leitura). Primeiro porque essa técnica de apresentação da mensagem permite que o conteúdo escrito represente bem o desejo da turma. Depois, a não ser que o discurso fosse decorado (o que nunca é recomendável), é a única forma de cumprir o tempo estabelecido.
Nada impede que o orador faça comentários de improviso, aproveitando informações que nasçam no próprio ambiente da formatura. Entretanto, só se ele se sentir bem à vontade e tiver certeza de que valerá a pena sair momentaneamente da mensagem preparada. Em caso de dúvida, nada de gracinhas arriscadas, é melhor seguir o que foi planejado.
É cada vez mais comum as turmas escolherem dois oradores, normalmente, um homem e uma mulher, para que leiam uma frase ou um trecho cada um. Essa participação simultânea dos dois oradores, quando bem ensaiada, dá um ótimo resultado, pois torna a apresentação mais leve e dinâmica.

O estilo

O estilo de um discurso de orador de turma precisa ser arejado, solto e muito bem-humorado. Quanto mais alegre e divertido mais chance de sucesso terá. Esse estilo de discurso combina mais com a irreverência comum dos formandos e as características de uma festa. O único cuidado é manter o limite do bom senso e não cair na vulgaridade.

O conteúdo

Algumas informações que poderão participar do discurso:
  • agradecimento às pessoas que compareceram à solenidade,
  • agradecimento aos pais e parentes que contribuíram para aquele momento de conquista,
  • agradecimento aos professores. Durante os agradecimentos aos professores cabem algumas brincadeiras, como imitações ou histórias que tenham marcado determinadas aulas ou o relacionamento com os alunos.
Atenção, brincar não significa humilhar ou ridicularizar, pois esse comportamento poderá comprometer o brilho da festa e até a boa imagem do grupo. Portanto, tudo deve ser feito com bom gosto e na medida certa.
  • Comentar sobre as expectativas que tinham ao chegar ao curso, sobre as amizades que fizeram e o quanto puderam aprender. Aqui também cabem algumas brincadeiras mencionando fatos curiosos ocorridos com os colegas.
  • Comentar sobre a aplicação que o curso que estão concluindo terá no mercado de trabalho.
  • Comentar, mesmo que bem superficialmente, sobre a realidade do país. É conveniente não entrar em considerações políticas que podem ser polêmicas e, por isso, descontentar alguns formandos ou parte da plateia. É sempre melhor falar de esperança e de possibilidade de realizações. Cabem também palavras de incentivo para que continuem estudando, aprendendo e se aperfeiçoando.
  • O final deve ser emocionante. O orador precisará encontrar uma mensagem que possa surpreender a plateia pelo ineditismo, pelo humor ou pela emoção da mensagem.

Nada de correria

Embora a fala deva ser entusiasmada e motivadora, não significa que deva ser na base da correria. É preciso saber usar bem as pausas. Ao encerrar um raciocínio a pausa ajudará a valorizar a informação transmitida, dará oportunidade para que os ouvintes reflitam sobre ela, e será um excelente indicador da naturalidade e do domínio do orador. Uma leitura feita com a técnica apropriada poderá ser tão atraente quanto uma fala de improviso.

Um comentário:

GALJY Cerimonial e Eventos © Copyright 2012.|TODOS DIREITOS RESERVADOS| Feito porLaysa layout.