23 abril 2012

Casamento contra o tempo

Conheça noivas que planejaram o casamento em três meses, 20 dias e até três dias – e saiba como elas fizeram tudo dar certo

Cáren Nakashima, especial para o iG São Paulo 07/04/2012 06:17



Se você pensa em cada detalhe do casamento há meses e ainda acha que os ponteiros do relógio estão girando rápido demais, deve achar uma loucura ver as noivas que têm menos de três meses para planejar tudo. Imagina, então, ter três dias. Parece loucura, mas setenta e duas horas foram tudo o que as assessoras Neriane Alves e Paula Matos, de Aracaju (SE), tiveram para preparar a festa de casamento de Patrícia e Múcio Flávio.

Eles se casariam apenas no civil, porque uma prima da Patrícia havia morrido pouco tempo antes. Mas, alguns dias antes, a noiva decidiu levar a festa adiante, em homenagem à prima. “O casamento estava marcado para uma quinta-feira, o que facilitou um pouco. O maior problema de organizar um casamento em poucos dias é a falta de opção. Não tivemos tempo para fazer vários orçamentos ou escolher muito”, conta Neriane. Mesmo assim, não faltou nada para os 80 convidados da festa. Apenas a cerimônia religiosa teve de ser deixada de lado, pois os proclames exigem ao menos três semanas. 

Mão amiga


Se a ajuda de uma assessora é importante em preparativos no prazo normal, em um casamento relâmpago é praticamente impossível fazer tudo sozinha. Se você não tem como contratar uma profissional, recrute aquela amiga organizada. Carolina Grupilo Fonseca chama de “anjo” a prima Angela, que não deixou a celebração do casamento civil de Carolina passar em branco. 

Foram 20 dias de sufoco para deixar a lista de convidados do tamanho do bolso dos noivos, escolher os doces e o bolo e definir o restaurante onde se daria a festa. “No dia em que marquei o casamento civil, um site de compras coletivas abriu uma ótima promoção e aproveitamos. Foi complicado realizar a compra, pois eles limitam a quantidade de cupons por pessoas, mas com a ajuda dos amigos, conseguimos”, conta Carol. 

Degustação de doces? Nem pensar. A noiva confiou nas recomendações encontradas na internet e fechou com o fornecedor. Os arranjos de mesa foram comprados já montados, em uma floricultura. O convite também seguiu o ritmo dos preparativos: foi virtual. Tudo simples, mas de bom gosto e para deixar os noivos com a sensação de ritual e sonho cumpridos. “Eu tive que abrir mão de algumas coisas, como cerimônia na igreja e vestido de noiva. Mas não abri mão de ter meu casamento”, resume Carol. 

Contagem regressiva


Depois das histórias acima, três meses parecem uma eternidade para planejar um casamento, certo? Mas não quando ele é feito para 500 convidados, com cerimônia religiosa, lembrancinhas e tudo como manda o figurino. Uiara Gonçalves, de Cuiabá (MT), foi pega de surpresa por uma gravidez depois de oito meses de namoro. Eles já pensavam em se casar, mas estava fora de cogitação entrar na igreja de barrigão, por isso marcaram o casório para dali a um mês. 
Uiara entrando na igreja: em três meses, casamento para 500 convidados  

Quando Uiara perdeu o bebê, o casal decidiu manter a festa, adiando só um pouquinho: dois meses. O anjo desta noiva-relâmpago foi a mãe, que cuidou de cada detalhe. “Foi como eu sonhava: casei de véu, grinalda, com o vestido que mais gostei. Só não consegui vaga na igreja que eu queria e o salão ficou pequeno para tanto convidado”, lembra Uiara, que engravidou de novo oito meses depois – e conversou com o Delas com o bebê recém-nascido no colo. 

Segundo Uiara, o essencial ao organizar um casamento em pouco tempo é estabelecer claramente o que é mais importante. “Para as noivas que, como eu, têm pouco tempo para planejar, sugiro fazer uma lista de prioridades. Primeiro escolham o que é mais importante, como salão, igreja e vestido. Só depois entrem nos detalhes, pois mesmo sem eles a festa acontece”. 

Noiva decidida

Não é fácil planejar um casamento, seja o prazo de dois anos ou dois dias. Mas quanto menos tempo você tiver, de mais coisas você pode ter que abrir mão. Por isso as noivas devem se perguntar: o que realmente importa? Celebrar esse momento tão importante com seu amado, familiares e amigos ou ter o bem-casado citado em todos os blogs e a decoração das revistas especializadas? 

“Em primeiro lugar, nesse caso é preciso fugir de todos os lugares ‘da moda’, porque estes certamente não terão mais vaga. Escolha a igreja do bairro, peça emprestado o sítio de um parente ou amigo. Ou tente fechar aquele restaurante com comida de qualidade”, sugere a assessora e cerimonialista Cida del Claro. 

Os fornecedores mais difíceis provavelmente serão aqueles que fazem uma ou duas festas por dia, como fotógrafos, coral, buffet e igreja. Pense em substituições possíveis: que tal criar uma conta em uma rede social e compilar lá todas as fotos de celular feitas pelos convidados? Ou convidar os amigos mais talentosos musicalmente para tocar na festa?

Fugir dos meses mais procurados, de setembro a dezembro, também facilita a vida da noiva-relâmpago, assim como marcar a festa para um dia da semana, naturalmente menos disputado. Por fim, a assessora Neriane Alves, que organizou a festa de casamento de Patrícia em três dias, recomenda esquecer a hesitação clássica de quem está no caminho do altar. “Noivas são indecisas por natureza, mas as que contam com pouco tempo não têm escolha: precisam ser decididas, ou as coisas não acontecem”, finaliza.

0 comentários:

Postar um comentário

GALJY Cerimonial e Eventos © Copyright 2012.|TODOS DIREITOS RESERVADOS| Feito porLaysa layout.